Bem-Vindo(a)

Essa é nossa fonte de informações para você que vem conhecer o vale do catimbau...

Segundo maior parque aqueológico do Brasil

O parque nacional do catimbau é considerado o segundo maior parque arqueológico do brasil desde 2002...

Rico em espécies indêmicas

O vale do catimbau abriga várias espécies indêmicas do lugar sendo elas plantas, repteis, fungos...

Igrejinha, Galinha, Cachorro

A Igrejinha, Galinha e o Cachorro são algumas das várias outras formaçoes que abitam esse lugar...

Visite-nos

Entre em contato com a "ACOTURC" (Associação de guias do vale do catimbau) e agende sua visita. Fone:(87)3816-3052

Pousada

Hospedagem...

domingo, 11 de setembro de 2016

#TURISMOAQUI ARCOVERDE-PE

Resultado de imagem para ArcoverdeNo alvorecer dos 1800, em plena caatinga entre a serra de Aldeia Velha e Caiçara, outrora habitada pelos índios de Ararobá, entre os quais, os Xucurus, começou a surgir um arruado, que daria origem a Olho d’Água. As fazendas de gado se desenvolviam.
Quando o português, Leonardo Pacheco Couto chegou para comandar sua fazenda Santa Rita, em 1812, mandou construir uma igrejinha em homenagem a Nossa Senhora do Livramento. Ali, em 1843, foram realizados os primeiros registros dos batizados.

Resultado de imagem para ArcoverdeSomente na metade daquele século é que teve o início do caminho das boiadas, com a construção de estrada àquela povoação desde a vila de Pesqueira. Em 1867, a capela sofreu a primeira reconstrução. Neste ano, os registros da igreja mostram a povoação com o seu segundo nome, Olho d’ Água dos Bredos. Em 1909 o povoado foi elevado à condição de vila e em 1912 teve o seu nome alterado para Barão do Rio Branco, que ficou sendo chamado, pelo costume popular, de Rio Branco, logo após a chegada da linha férrea, o primeiro fator de desenvolvimento. 

Em 11 de setembro de 1928, Rio Branco é transformada em cidade, sendo incorporada pela fazenda Tatu, de Buíque e depois Ipojuca, de Pesqueira.

Em 1943, o município tem seu topônimo mudado para Arcoverde, em homenagem a D. Joaquim Arcoverde Albuquerque Cavalcanti, 1º Cardeal do Brasil e da América Latina.


TURISMO
ALTO DO CRUZEIRO
Fica a 2 km do centro de Arcoverde, próximo a BR 232. No local é possível ter uma visão parcial da cidade. Foi lá onde nasceu o Coco Raízes de Arcoverde.

CEDEC – Santuário da Divina Misericórdia
Via de acesso: BR 232, Km 253.
Distância da cidade: 15 km no distrito de Serra das Varas – Zona Rural de Arcoverde.
O Centro de Educação e Desenvolvimento Comunitário (CEDEC) foi criado no município de Arcoverde, em 1º de maio de 2000, a partir da mobilização de movimentos eclesiais, entidades filantrópicas e organizações populares liderados pelo Padre Adilson Carlos Simões da Silva. Localizado no Sítio Mocó, zona rural, o Centro é reconhecido como de Utilidade Pública Federal e de Assistência Social. Suas obras e projetos têm sido realizados com pleno êxito e são frutos do sonho com uma sociedade justa e igualitária para todos. O CEDEC desenvolve trabalhos junto às comunidades carentes de periferias e da zona rural da região, levando em consideração as necessidades e expectativas da população. Suas ações estão focadas na organização das comunidades, na promoção do desenvolvimento sustentável e na valorização da vida.
O CEDEC é conhecido pela Festa da Misericórdia e por ser um local destinado a orações, retiros e visitações.
 Email: www.terradamisericordia.com.br

CRUZEIRO NOVO
Fica a 2 km do centro de Arcoverde. Do local é possível ter uma visão privilegiada de toda a cidade e ainda conhecer a Capela do Cruzeiro.

FAZENDA ARARAS
Via de acesso pelo bairro do São Cristóvão.
Distância da cidade: 6 Km do centro
Proprietária: Maria do Socorro Britto
A fazenda possui desenhos rupestres que existem há mais de 300 anos antes de Cristo.

FUNDÃO
Via de acesso: BR 424
Distância da cidade: 7 Km
A Fazenda Fundão é conhecida por ser a casa onde nasceu o Cardeal Arcoverde, em 1850. Joaquim Arcoverde de Albuquerque Cavalcanti, mais conhecido como Cardeal Arcoverde foi um sacerdote católico e o primeiro a ser elevado ao título e dignidade de cardeal em toda a América Latina. Foi reitor do Seminário de Olinda; 10º bispo nomeado de Goiás; 10º bispo de São Paulo; e 13º bispo e 2º arcebispo da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Ele faleceu em 1930. A casa permanece preservada em sua construção original.

FUNDAÇÃO TERRA – MALHADA
Via de acesso: BR 232
Fica a 12Km de Arcoverde no Sítio Malhada
Responsável: Padre Aírton Freire.
A casa é destinada a realização de retiros, encontros e eventos religiosos e está aberta para visitação com agendamento prévio. A Fundação Terra, sobrevive de doações, e prioriza seus trabalhos na área da saúde, educação e moradia. Email: www.fundacaoterra.org.br

ESTAÇÃO FERROVIARIA 
Localizada na Praça Barão do Rio Branco, a estação foi inaugurada em 1912, no mesmo ano em que uma resolução do Conselho Municipal de Cimbres, comunicada ao governador mudou a denominação da localidade de Olho d´Água dos Bredos para Rio Branco, em homenagem ao Dr. José Maria das Silva Paranhos Jr., o barão do Rio Branco, histórico chefe da diplomacia brasileira, falecido no dia 10 de fevereiro de 1912Em 1943, o município passou a se chamar Arcoverde em homenagem ao Cardeal Arcoverde. Atualmente a estação encontra-se desativada. 

CINEMA RIO BRANCO
O Cinema Rio Branco é o mais antigo da América Latina. Foi inaugurado em 1917. Vale ressaltar que nessa época a cidade possuía apenas dois prédios: o da Estação Ferroviária e a casa comercial Salvio Napoleão que pertencia ao comerciante Valdemar Napoleão. Atualmente o projetor do cinema é analógico e só exibe películas de 35mm. Infelizmente, todos os filmes que estão sendo produzidos são digitais. Por isso, o Cinema está momentaneamente parado. Porém, a Prefeitura de Arcoverde já inscreveu projeto no Ministério do Turismo solicitando recursos para aquisição de um projetor digital, para que o cinema volte a funcionar diariamente.

CASA DE AUGUSTO CAVALCANTI
Casa que pertenceu ao usineiro Augusto Cavalcanti que veio para Arcoverde em 1915. Segundo consta foi erguida em 1919, para hospedar seu pai que era ministro. Registra-se ainda que este usineiro fez diversos benefícios à cidade, como implantar a energia elétrica e o primeiro cinema.
Fonte: http://www.arcoverde.pe.gov.br/

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

#TURISMOAQUI Festa de Reis Pedra-PE


A cidade de Pedra situa-se na base de uma enorme formação granítica de forma cônica, uma pedra com 3,822 metros de circunferência e 615 metros de altura, constituindo-se em uma beleza natural.

Resultado de imagem para pedra peConceição da Pedra foi o primeiro nome do atual município e o local da vila foi, primitivamente, uma fazenda da gado de propriedade do capitão-mor Manuel Leite da Silva (falecido em 1801), oriundo das bandas de Penedo, descendente de portugueses. Seu pai chamava-se Bento Leite Cavalcanti. O capitão Manuel Leite mandou erguer na fazenda uma capelinha de taipa, sob a invocação da Virgem da Conceição, dando como patrimônio uma légua de terra em quadro. Em julho de 1875 a capela foi reedificada pelo capuchinho húngaro frei Estêvão da Hungria, falecido na colônia Jiquiçara, no estado da Bahia, em 19 de maio de 1878.
A freguesia de Pedra foi criada pela lei provincial número 561, de 6 de maio de 1863, sendo provida canonicamente por ato diocesano de 14 de julho do mesmo ano, pelo seu primeiro vigário, padre Nuno Teodoro da Costa.
Resultado de imagem para pedra peFoi elevada a categoria de vila pela lei provincial de número 1542 de 13 de maio de 1881, instalando-se a Câmara Municipal em 17 de agosto de 1885. Em 19 de maio de 1893 constituiu-se como província autônoma. Foi desmembrada do município de Buíque quando teve sua autonomia e passou à categoria de cidade.
Resultado de imagem para pedra festade reis pedraDe conformidade com os quadros de divisão territorial datados de 31 de dezembro de 1936 e 31 de dezembro de 1937, bem como o anexo ao decreto lei estadual número 92, de 31 de março de 1938, e a divisão territorial em vigor no quinqüênio 1939/1943, fixada pelo decreto lei estadual de número 235, de 9 de dezembro de 1938, o município da Pedra figura como termo judiciario da Comarca de Arcoverde (ex-Rio Branco). Por força do decreto lei estadual número 952, de 31 de dezembro de 1943, que fixou a divisão territorial do Estado, para vigorar no qüinqüênio 1944/1948, foi criada a comarca da Pedra que compunha-se dos distritos da Pedra - sede, Japencanga (ex-Cordeiro), Brotão, Tará (ex-Santo Antônio) e Venturosa (ex-Boa Sorte).
TURISMO
Além de poder fazer um belissimo treking na grande pedra podemos tambem estar curtindo a a tradicional festa de reis da cidade da Pedra, com boas atrações para festejar o novo ano entre os dias 03 e 07 de JANEIRO, com a primeira festa do ano por toda a região.

sábado, 30 de julho de 2016

A espetacular chuva de meteoritos que poderá ser vista nos céus de todo mundo no fim de semana

Chuva de meteoros (Foto: Divulgação/Nasa)

Uma espetacular chuva de meteoros poderá ser observada a partir desta sexta-feira (29) e durante o fim de semana em todo o mundo.
Conhecido como Delta Aquarídeas, o fenômeno ocorre todos os anos entre os meses de julho e agosto, mas atingirá seu pico nos próximos dias.
Segundo astrônomos, até 20 meteoros poderão ser observados por hora.
A chuva de meteoros Delta Aquarídeas é ligada à passagem do cometa 96P/Machholz, descoberto em 1986 por um astrônomo amador.
A lua minguante tornará o fenômeno ainda mais especial, pois com menos luz os meteoros ficam mais visíveis.
As melhores horas para observar o Delta Aquáridas são entre a meia-noite e antes do amanhecer, entre duas e três da manhã.
Quem estiver no Hemisfério Norte, deve olhar para o sul, perto da constelação de Aquário.
Já que vive abaixo da linha do Equador, como é o caso do Brasil, tem mais sorte, pois os meteoros estarão mais visíveis. Será preciso olhar para o norte.
Chuva de meteoros Líridas é registrada no céu de Porto Real (Foto: Leonardo Pires/Fotógrafo)Segundo astrônomos, até 20 meteoros poderão ser observados por hora (Foto: Leonardo Pires/Fotógrafo)Contudo, os moradores do Hemisfério Norte poderão ver com mais nitidez as Perseidas, uma outra chuva de meteoros ligada à passagem do cometa Swift-Tuttle, em meados de agosto.
Perseidas
Quem mora acima da Linha do Equador poderá observá-las perto da constelação de Perseu, entre o nordeste e o norte.
Já quem vive no Hemisfério Sul, será preciso olhar em direção ao norte do horizonte.
As chuvas de meteoros ocorre quando a Terra cruza a órbita de um cometa. Quando está perto do Sol e se aquece, o corpo celeste perde pedaços deixando um rastro de pó.
"São esses detritos que se chocam com a atmosfera exterior da Terra a 150 km/h, fazendo com que se evaporem como meteoritos ou estrelas", afirmam especialistas ouvidos pela BBC.
Segundo o site de notícias de ciência Sciencealert, a gravidade da Terra atrai pó e gelo que se desprendem do cometa.
Fonte: http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2016/07/a-espetacular-chuva-de-meteoritos-que-podera-ser-vista-nos-ceus-de-todo-mundo-no-fim-de-semana.html

sábado, 25 de junho de 2016

Quadrilha junina Kapinawá da show no 6º festival junino do Catimbau

É junho e "chegou a hora da fogueira". Em todo o Brasil, uns rezam alguns se divertem, outros brincam nas ruas em louvação a santo Antônio, o casamenteiro, e a são Pedro, o "porteiro do céu" e a vila do catimbau não ficou de fora, ocorreu neste sabado a 6ª festa junina do vale com uma quadrilha junina organizada pelos jovens da vila, esse ano com a participação espécial da quadrilha indigena dos KAPINAWÁ que deram um show em sua apresentação, entrebombas e foguetes a quadrilha reuniu vários moradores da vila do catimbau como todos os anos vem reunindo, além de admiradores e turistas.

A quadrilha realmente encantou o publico, esse ano reuniu mais de 300 pessoas, sem contar que foi adicionado efeitos especiais, bombas e bandeirinhas, foi de encher os olhos, a cada ano que passa a quadrilha fica mais emocionante, a comunidade agradeceu com aplausos os integrantes das quadrilhas, organizadores.

Confira algumas fotos abaixo:








domingo, 29 de maio de 2016

ATENÇÃO, PRECISAMOS DE SUA AJUDA! - Incêndio destroi o galpão da Cidade do Bem, em Catimbau, PE.

Um Galpão pertecente a ONG amigos do bem pegou fogo na manhã deste domingo, o local servia como armazenamento de alimentos, roupas, ferramentas e materiais escolares, além do estoque da produção de castanha de caju, principal fonte de renda das famílias atendidas. Para tentar repor o que foi perdido, a Organização pede que doações sejam feitas.

Vamos dar nossa contribuição. Essa é uma ONG que vem beneficiando famílias carentes de nossa cidade e do nosso país e, tem prestado relevantes serviços ao nosso povo buiquense. Doações de roupas, alimentos, moradia, entre outros.  Nossa ajuda é fundamental.


Palavra da Presidente






Esse é um acontecimento muito triste. Nós perdemos tudo. Todas as doações de alimentos, roupas, materiais escolares, ferramentas, e, o mais importante: todo o estoque da produção de castanha de caju, que gera renda para as famílias e é um recurso muito importante para o projeto.

Precisamos muito de sua ajuda para recuperar o que foi perdido. Para colaborar faça sua doação PAYPAL ou realize um depósito em conta:

Razão Social: AMIGOS DO BEM INSTITUIÇÃO NACIONAL CONTRA A FOME E A MISÉRIA – CNPJ: 05.108.918/0001-72
Itaú: Ag. 0466 - CC 64653-6
Banco do Brasil: Ag.1193-2 - CC 10837-5
Bradesco: Ag. 1336-6 - CC 500-2

Mais informações: https://www.facebook.com/amigosdobem/














Fonte: Buíque & cia

sábado, 14 de maio de 2016

Guias do vale dão exemplo ao efetuar coleta de lixo no Catimbau #LIXOZERO

Em Buíque temos um grande problema com o lixo, tanto quanto a forma e o local para depositar o lixo, como a própria cidade encontra-­se em dificuldade para manutenção da limpeza. São vários os próblemas desde a falta de latas de lixo nas ruas quanto a falta de orientação dos cidadãos. Seria interessante uma campanha para orientar o povo manter sua cidade limpa, porém para isto teria que ter opções de onde por o lixo.

Pensando nisso a associação de guias do vale do catimbau se mobilizaram e fizeram uma coleta por arredores da vila do catimbau, portal que da acesso ao parque nacional do catimbau,foram coletadas várias sacolas plásticas e o pior vários restos de bebidas alcoolicas, a população de Buíque está gradativamente crescendo, sem empregos, atividades educativas e recreativas para os jovens eles buscam entretenimento com a bebida.

A coleta na vila está ligada a um projeto criado pela equipe da associação dos guias que vai promover muitas coisas boas pra população através da concientização, arborização, distribuição de lixeiras pela vila e palestras.

Você pode acompanhar todos os passos do projeto em nosso blog através e da hashtag Lixo.

Confira algumas imagens cedidas pelo guia Cicero Constatino para o nosso blog:











quinta-feira, 12 de maio de 2016

As formigas carnivoras do vale do catimbau.

NOME CIENTÍFICO :DINIPONERA LUCIDA NOME POPULAR :FORMIGA-GIGANTE Na mata Atlântica, vive uma formiga muito maior do que as que costumamos ver na cidades: a Diniponera Lucida, também conecida como formiga-gigante.Enquanto as formigas urbanas medem, no máximo, 15 milímetros, essa espécie- que existe apenas no Brasil-pode chegar a quatro centímetros de comprimento. Por conta do tamanho avantajado da formiga-gigante, há pessoas que têm medo desse inseto.Mas não há razão para isso. Afinal, essa espécie so pica quem mexe com ela. A picada é dolorosa ! há quem diga que a dor pode durar até 11 horas e causar febre, porem os pesquisadores ainda não comprovaram que isso realmente ocorra. 
As formigas-gigantes alimentam-se, principalmente, de insetos mortos ou maribundos, além de outros invertebrados, como pequenos caracóis. Podem, também, comer pequenos vertebrados mortos, como rãs, ou partes deles, como caudas de lagartos. Elas também já foram vistas transportando escamas de serpentes, o que indica que esse pode ser outro elemento presente em sua alimentação. Por comerem animais mortos, as formigas-gigantes, assim como outras formigas, desempenham um papel muito importante na natureza. Isso porque o alimento ingerido por elas é eliminado em tamanho menor em suas fezes, facilitando o trabalho dos microrganismos que irão decompô-lo e misturá-lo ao solo.

Com isso, os nutrientes que estavam presentes no alimento ingerido pela formiga voltam a estar disponiveis no ambiente, podendo ser absorvidos, por exemplo, pelas plantas. Apesar de contribuir para que esse fenômeno tão importante ocorra, a formiga-gigante, como muitas outras espécies que existem apenas na Mata Atlântica e caatinga, está ameaçada de extinção. E por quê ? Por causa da destruição de seu hábitat. A Mata Atlântica vem sendo substituida por pastagens, plantações de eucaliptos e diversas outras culturas, e os animais que dependem da mata estão perdendo suas moradas, ficando isolados nas pequenas áreas de florestas que ainda resistem. Esse isolamento é prejudicial para a maioria das espécies, mas para a formiga-gigante ainda é pior, por conta da maneira como esse inseto se reproduz. 

Em geral, a reprodução das formigas é feita por um macho e uma fêmea que voam,sendo que a fêmea, apos a fecundação, torna-se a rainha do formigueiro. Com a formiga-gigante,porém, a situação é diferente: a fêmea reprodutora não é uma rainha, mas uma opéraria que disputa com as outras operárias do seu ninho a chance de ser a fêmea reprodutora . Como as operáriasnão têm asas, a formiga-gigante que se tornar a fêmea reprodutora será capas de percorrer, antes ou depois da fecundação, uma distância muito menor da que qualquer rainha de outra espécie poderia completar. E sabe qual o resultado pratico disso ? As colônias das formigas-gigantes ficam muito próximas umas das outras. Afinal, a fêmea reprodutora acaba sendo fecundada pelos machos nas proximidades de seu ninho de origem e funda uma nova colônia também perto dele. O problema é que isso faz com que as colônias de uma certa área sejam aparentadas. 

Talves você já tenha ouvido falar que primos não devem se casar porque os podem nascer com problemas de saúde. Pois algo parecido ocorre com as formigas-gigantes quando estão em uma área muito pequena e isolada: indivíduos aparentados se reproduzem proporcionando o surgimento de doenças genéticas. Isso leva ao surgimento de populações fragéis isoladas nos fragmentos de florestas. Uma das soluções para animais como as formigas-gigantes, que estão ameaçadas de extinção na Mata Atlântica por conta do isolamento, é a criação de corredores ecológicos, que conectam as áreas de florestas permitindo que os animais passem de um fragmento para outro. Tomando medidas desse tipo, estaremos contribuindo para que esse tipo de floresta continue habitado por bichos tão curiosos como essas formigas, que atraem a atenção por seu tamanho. 

FONTE:CIENCIAS HOJE RAMON AMBIENTAL

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Um encontro com Zé Bezerra

Em Pernambuco, a tradição de desbastar a umburana, arvore típica da Caatinga, para esculpir carrancas, imagens religiosas entre outras figuras, é mais forte em cidades do sertão como Petrolina. No agreste, esse saber é mais presente em Ibimirim. Entretanto, é em Buíque que reside um dos grandes nomes escultores: José Bezerra ou Zé Bezerra, como prefere ser chamado.
Nascido em 1952, Zé, há um pouco mais de uma década, conta que teve um sonho em que era chamado a realizar os trabalhos que faz atualmente. A partir daí, ele passou a olhar as madeiras que o cercavam e a intervir nelas. Essa “intervenção” na madeira feita por ele não ocorre na forma tradicional: “eu não crio nada, a coisa já está lá, eu só ajudo a fazê-la nascer”.
Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - Works of José Bezerra, Catimbau Valley sculptor.Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - Works of José Bezerra, Catimbau Valley sculptor.Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - Works of José Bezerra, Catimbau Valley sculptor.Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - Works of José Bezerra, Catimbau Valley sculptor.Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - Works of José Bezerra, Catimbau Valley sculptor.
São bichos, corpos e rostos, esculpidos geralmente em toras de madeira encontradas na região. Não são figuras que remetem à leveza do nosso imaginário da arte feita à mão, ou arte dita popular. Pelo contrário, são esculturas que parecem lutar para emergir.
JB, como assina, atribui essa luta à sua própria vida. Filho de agricultor, foi lavrador: “Já arrumei muita confusão quando mais jovem também, até preso já fui.Mas, desde que comecei a trabalhar com a madeira, a paz e a felicidade tomam conta de mim e da minha família.” Zé já expôs suas obras em grandes galerias do Brasil e em países da Europa como França e Itália.
Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - José Bezrra or Zé Bezerra, 64, is one of the most influential artists in northeastern Brazil. Works usually with twisted logs, typical vegetation of the Caatinga, exclusively Brazilian biome, where he lives, in Catimbau Valley in Buíque - Pernambuco, Brazil. His animals, bodies and faces, usually carved in umburana not have much of sweetness of the call folk art, made of affection and familiarity with the materials, their figures seem to struggle to emerge. JB, its signing, attributes this "struggle to emerge" with his own life. Among the difficulties of the arid climate, prisons and art, Zé Bezerra is a figure as surprising as his work.
José Bezerra, escultor do Vale do Catimbau, PE.
A música é outra grande paixão do artista. Toda vez que algum visitante chega, pega a zabumba e desenrola a cantar, mas sempre com originalidade, combina letras e canções de outros músicos consagrados com seu repente.
O Vale do Catimbau, com seus 62.300 hectares, abrange os municípios de Buíque, Ibimirim e Tupanatinga, entre o Agreste e o Sertão pernambucano. Entre as dificuldades do clima árido da região, ele tira seu fazer. Zé Bezerra é uma figura tão surpreendente quanto sua obra.
Buíque, Pernambuco - Brazil. Setember 19th - José Bezrra or Zé Bezerra, 64, is one of the most influential artists in northeastern Brazil. Works usually with twisted logs, typical vegetation of the Caatinga, exclusively Brazilian biome, where he lives, in Catimbau Valley in Buíque - Pernambuco, Brazil. His animals, bodies and faces, usually carved in umburana not have much of sweetness of the call folk art, made of affection and familiarity with the materials, their figures seem to struggle to emerge. JB, its signing, attributes this "struggle to emerge" with his own life. Among the difficulties of the arid climate, prisons and art, Zé Bezerra is a figure as surprising as his work.José Bezerra, 64, Vale do Catimbau, PE.
Fonte:http://projetoandarilha.com/zebezerra/
Fotografias: Tiago Silva.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Dicas de segurança pessoal para evitar surpresas desagradáveis em sua trilha

dreamstime homem-cadeado
Além das regras de segurança específicas de cada esporte dde aventura ou até mesmo as estabelecidas em parques ecológicos, algumas outras ações de segurança pessoal são muito importantes.
Não é incomum assistirmos nos noticiários, manchetes de acidentes ocorridos na prática do turismo de aventura, entretanto, outras centenas de ocorrências por ano não são registradas e engordam a estatística, que muitos se recusam a considerar como riscos eminentes à sua integridade.
Para evitar incidentes desagradáveis, os maiores especialistas no tema recomendam:
  • Quando for praticar atividades ou esportes de aventura NÃO ESTEJA SOZINHO. Além de ser entediante não compartilhar esta experiência com amigos, você pode se sentir mal, pode sofrer algum acidente e precisar de ajuda;
  • Em rodovias é alto o risco de atropelamentos.  Caso  sua rota inclua  estradas de asfalto ou terra, procure andar sempre no sentido contrário ao fluxo de veículos, o mais longe possível do acostamento  e em fila indiana se estiver em grupo. Utilize roupas claras e de fácil visualização,  à noite utilize lanternas e fitas refletivas;
  • Embora não sejam recomendadas por diversos fatores, as caminhadas à noite e dependendo da região, também são vulneráveis a assaltos. Procure se informar bem a respeito de sua rota ou evite estas situações. Não leve objetos de valor ou que você não possa repor no caso de perdê-los;
  • Quando for caminhar ou praticar esportes de aventura em lugares afastados, procure sempre informar alguém sobre sua intenção e ou provável localização. Caso ocorra algum imprevisto com você ou seu grupo, alguém terá alguma referência para localizá-lo;
  • Procure informar-se sobre as regras de parques ecológicos ;
  • Evite alterar o caminho da sua trilha abrindo atalhos em mata fechada. Além de agredir o meio ambiente, você pode se perder, pode se ferir na vegetação ou ser ferido por algum inseto ou animal;
  • No caso de chuva ou de terrenos molhados, evite trajetos em encostas para reduzir o risco de escorregões e quedas;
  • Evite utilizar acessórios cortantes tais como:  brincos, colares, pulseiras ou relógios de metal.  Em caso de queda eles podem ocasionar ferimentos. Utilize sempre sua mochila para transportá-los;
  • Em longas caminhadas ou acampamentos, leve sempre um estojo de primeiros socorros para ferimentos simples;
  • Verifique sempre o estado de seus equipamentos.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Projeto Amigos do bem

SOBRE OS AMIGOS DO BEM


 HISTÓRIA

A iniciativa de um grupo de amigos liderados por Alcione de Albanesi, que levava às famílias do sertão nordestino roupas, alimentos, atendimento médico e odontológico, entre outras coisas, tornou-se um trabalho de transformação, com inúmeros projetos educacionais e autossustentáveis que hoje movimentam a vida de mais de 60 mil pessoas nos estados de Alagoas, Ceará e Pernambuco.
Os Amigos do Bem atuam em diversas áreas a fim de promover uma transformação efetiva na vida dos milhares de pessoas atendidas.

QUEM São

Instituição não-governamental sem fins lucrativos, com o objetivo principal de contribuir para a erradicação da fome e da miséria no Sertão Nordestino, por meio de ações educacionais e projetos autossustentáveis que favoreçam o desenvolvimento social da população carente.

MISSÃO

Promover desenvolvimento local e inclusão social capazes de combater a fome e a miséria, por meio de ações educacionais e projetos autossustentáveis.

VISÃO

Um futuro em que a fome e a miséria no Sertão Nordestino sejam lembradas apenas como fatos históricos.

VALORES

Solidariedade: capacidade de colocar-se no lugar do outro e agir com amor e amizade;
Humanidade: valorização do potencial humano;
Transparência: relação ética e verdadeira com o público-alvo.

PREMISSA

Todo ser humano é capaz de se desenvolver plenamente, desde que lhe sejam oferecidos os recursos e as condições favoráveis para tanto. Acreditamos na capacidade de mobilização e na força do povo do Sertão Nordestino que, mesmo em condições adversas, vive com determinação e esperança.

LEMA DOS AMIGOS DO BEM

Que ninguém se escuse de fazer o bem
sob o pretexto de que é pequenino,
pois cada qual algum recurso tem,
para valorizar o seu destino!

A fraternidade é como hino 
que juntos cantamos, quando alguém
de nós recebe o bálsamo divino
que um gesto amigo e fraternal contém!
Em face do progresso social,
trabalhar sempre pelo bem geral
É sagrado dever nosso!

O meu lema de vida assim descrevo:
se não posso fazer tudo o que devo,
devo, ao menos, fazer tudo o que posso!

RECONHECIMENTO


Considerada um dos 5 maiores projetos sociais do Brasil, a instituição Amigos do Bem já recebeu diversos prêmios de reconhecimento social, entre eles:

Projeto Generosidade – Editora Globo
Primeira Instituição a ser homenageada e eleita entre mais de 10 mil projetos sociais.

Trip Transformadores – Editora TRIP
Prêmio que reconhece pessoas e instituições que colaboram para a transformação da sociedade e do mundo.

TOP Social
Tradicional prêmio do Terceiro Setor, que homenageia e homologa instituições sociais.

Retrato Social
Entidade que certifica Instituições Filantrópicas idôneas.

Mais informações
http://www.amigosdobem.org/